terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Nênia

de repente
olhei-me
e não me vi
como ontem

não me recordei
de nenhuma palavra
minha

e descalço
me aproximei
do outro que me serviu
por tantos caminhos

de fora
parecia ser eu o mesmo
que de dentro

mas não era


[Edemir Fernandes Bagon]