domingo, 20 de maio de 2018

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Decantação


o amor que vai embora na clareza das horas
                            perdoa o tempo da solidão,
                            porque não se cabe nunca no vazio da espera.

os sonhos são apenas a medida daquilo que os olhos alcançam
                            desenhos cerzidos em nuvens
                            [que] decantam o invisível dos tecidos feitos na memória.


Edemir Fernandes Bagon

sábado, 31 de março de 2018

Enunohcanê


toque delicadamente
as mãos dos que vieram de longe


entregue a água doce e límpida para os velhos viajantes
enlace o tempo em seu ventre


Edemir Fernandes Bagon

 














quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Pedaços



O céu encobre toda a montanha azul
 E Deus se deita para ver de longe  os homens  se escondendo  no mar

Diáspora de sonhos  sobre a  terra em transe
Eclesiastes em luta corporal com os pedaços da discórdia

Um caminho descoberto pelos olhos do insano


Edemir Fernandes Bagon