terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Viagem

Partir é sempre o desejo da gente.



Somos nômades por entre vales e montanhas.

Somos multidões atravessando os desertos e o inconsciente.

Intranquilos seres,sobretudo vivos, navegantes mendigos...


Caravanas inteiras sem destino.



Partir é sempre desejo da gente.



Somos sempre estrangeiros

Viajantes com sede de viver

Ancoradouros partidos

Estrelas cadentes


Meninos e meninas abandonados no mundo


Partir é sempre o desejo



Repentistas do amor
e
Mascates da vida,

Somos destinos por entre dedos estendidos no coração inventado !

Somos pais que morrem sem perdão !

[...]
Partir é sempre o desejo [da gente]
Queda dos anjos sobre a ponte de vidro

Viagem dos dantes...

Inimigos felizes com a imagem do infinito,
Vísceras que voam pra longe...

Partir num navio de prata pelas águas da saudade

partir num desejo efêmero e mentir numa angústia desumana para ver o mundo na linha do horizonte...


[Edemir Fernandes Bagon]