sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Mãe

um pouco de seus olhos guardo ainda para mim


um pouco de seus dedos ainda me tocam com ternura

e um sorriso inteiro ainda guardo para sempre em todas as tardes em que não me faço ser corpo e alma verdadeiramente

Edemir Fernandes Bagon