segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Personagem

é estranho sentir o que algumas palavras  não sentem
enquanto o tempo conversa com o infinito do olhar


e quando minto me vejo de longe como livro sem página
de vez em quando me sinto verdadeiro feito espelho

e de dentro do eu que escondo, retiro um frasco cheio de areia e com um papel escrito.

Edemir Fernandes Bagon