sábado, 30 de junho de 2012

Mensurar

Com uma força imensurável
A vida continua se desfazendo
Dos amigos antigos e do amor.

Pouco a pouco sendo colocada
Em caixas decoradas pelo silêncio
Guardada no interior da memória.

E por completa indecisão segue o sonho
Desenlaçando o vício dos olhos
De um caminho ausente.

Com uma força imensurável
A vida segue sem olhar para o lado
Representando apenas as cortinas claras de um quarto.


Edemir Fernandes Bagon