sexta-feira, 9 de maio de 2014

Templos

 quando os olhos esquecerem do tempo
 e  folhas caírem no chão

quando imagens deixarem as horas
e os instantes partirem nas águas

quando os lírios deixarem os campos
e pedras virarem encantos

quando  ruas encantarem os anjos
e  os céus escreverem seus sonhos

quando os santos cantarem em versos
e noites cobrirem os tetos

quando finitos se tornarem almas
e os escritos sentirem o mundo

quando a vida deixar a saudade
e as mãos tiverem compaixão

quando os rancores se perderem durante a espera
e os caminhos deixarem saída

quando desejos debelarem a moral
e dos homens os egos recobrarem a razão

quando as coisas se revelarem nos espelhos
e as correntezas construírem castelos na areia

quando saírem os barcos do cais
e retornarem os veleiros e os sonhos

seremos templos



edemir fernandes bagon