quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Passagem




Esperando encontrar alguém para sempre,
Maria Júlia rezou.

Fogos no céu do réveillon daquele ano.

Ela, então, fez um pedido com fé.
Deu sete pulos n'água. Comeu lentilhas.

Porém, depois de tanto tempo, quis entender por que não encontrara ninguém para ser chamado de "amor".

Olhou-se no espelho da casa.
Segurou os cabelos, fazendo pose para parecer mais jovem.
Aproximou-se do espelho, abrindo um sorriso.
Viu marcas de expressão no rosto.
Viu seus cabelos pintados.


Olhou-se no espelho por diversas vezes, mas ela não se viu.
E ninguém nunca a encontrou.


Edemir Fernandes Bagon