Desencarnados


a gente não sabe dizer para onde vai o coração
[destino? escolha?  coincidência?]

talvez seja assim um pouco da tarde que chega com a chuva
procurando o instante sem saber da vida e , nem mesmo, como tecer o ontem

o perdão é construído e perdido por entre espíritos

[os olhos libertam o amor]




edemir fernandes bagon

Postagens mais visitadas deste blog

Cantiga de Amigo do Século XXI

O discurso retórico na arte de Rugendas: um novo olhar