Conflito

o tempo nascido nas estrelas
a poeira escrita nos olhos
o corpo dividido na alma
o passado inventado na ignorância dos sentidos

caminhos sem margens
cruzes nas pedras do mirante

o medo não acordado
a voz correndo no quintal da infância

a vida imersa
num espírito imundo


Edemir Fernandes Bagon


Postagens mais visitadas deste blog

Cantiga de Amigo do Século XXI

O discurso retórico na arte de Rugendas: um novo olhar