Cérbero


Descolavam das mãos os desenhos coloridos
Pássaros com adornos
Cães em relevo
Céu azul monocromático
E o homem-deus deitado no teto de suas angústias

Edemir Fernandes Bagon

Postagens mais visitadas deste blog

Cantiga de Amigo do Século XXI

O discurso retórico na arte de Rugendas: um novo olhar