terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Em Cada Canto do Mundo



cada canto do mundo
recorto com os olhos
e colo com os dedos
o menor pedaço

em cada vento que sopra
eu o inspiro
e o coloco num muro diante de mim
e me transformo em todos os teus sonhos

quase me engano
quase me perco
para ter aqui o que nem sei

cada canto não sente
cada canto não vive
em cada canto do mundo 

sem contudo encontrar a razão
daquilo que poderia ter sido perfeito
sem terminar
com todos os medos


se em cada canto do mundo
não puder ser livre
como filme
como doce encontro
como semente dentro do fruto

rasga a figura da matemática
e vem viver comigo 

sem número nenhum
em cada canto do mundo
para ser apenas meu filho


edemir fernandes bagon