segunda-feira, 24 de maio de 2010

Vontade e representação

Que importam as representações
Se foram elas inventadas pelo desejo?

As mãos se curam [a si mesmas]
E o sonho compreende a vida.

É tão-somente isso.

Porque a vontade liberta aquilo que não se sonha mais.
Quase o sublime perdido como o sol que se põe no mundo.

E ele não se representa [a si].
É o mundo que o inventa enquanto ser.


                                                                            [Edemir Fernandes Bagon]