domingo, 25 de julho de 2010

Renovação

de nada me lembro.
apenas sei das coisas, mas não me lembro delas.
nem memória
nem identidade nenhuma
nem casa de absolutamente nada
apenas o vento que me vem de todo o mundo
feito música
 como a chuva
  semelhante canto

Junho estranho
de um frio estranho com sol

meu desespero é não ter para onde ir sendo livre
e ser trazido à vida com a loucura de todas as mortes que terei ainda

de novo o assombro
de novo o aspecto triste de um coração boiando no mar que eu ainda preciso ver
para renovar-me como a terra.

edemir fernandes bagon