quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Tulipas estampadas e nuas sob os céus



Te deu o mundo
Com um pouco de alegria
E um pouco de tristeza
Sorriu para o tempo
Com a força da espera
Te entregou para os olhos
Com um carinho sobre-humano
Esperou pela linguagem e pela imagem
Caminhou por toda terra
Segurou-se em teus sonhos
Transformou-se em tuas estrelas
Engoliu teus oceanos - feito barco  de esperanças
E num dia cheio de infinito
Recordou-se de teu riso
Respirou o sol e
semeou a ti mesmo
num passado
numa história em que grandes tulipas estampadas e nuas sob os céus foram criadas.

Edemir Fernandes Bagon