sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Prenúncio

(Espera ainda pela livre essência do mistério)




Barco sobre o mar igual feito sorriso de menino
Infinito  parte seguindo com a chuva que renasce




(Porque és um nômade em teu  próprio corpo-precipício)




Edemir Fernandes Bagon