quinta-feira, 23 de junho de 2011

Para Luíza

se encontraram  por acaso
olharam-se e perceberam as diferenças que seus corpos apresentavam a seus olhos


e seus olhos se entregaram a suas peles 

não importava a vida que tiveram e que não fora compartilhada
não importava  para ambos nada que antes pudesse ter existido

apenas o tempo que se transformava
apenas o tempo grisalho

unidos

tocava-lhe a boca com o gosto de tantos gostos
com a pureza do instante das mãos envelhecidas
recolhidas no silêncio


bocas que se encontraram  por acaso
depois de tanto tempo

renascem
revivem


se descobrem no mundo
com todas as marcas no rosto
com todos os brancos cabelos

como se fossem menino e menina ainda

seguram as mãos juntas
para encontrar a metade de ambos
e caminham ao redor de um  lago
como se aqui estivessem ainda





edemir fernandes bagon