segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Dálias


Peles que se encontram num quarto escuro
Doce toque de Eva no corpo de Adão

Quarenta dias de chuva sobre as ruas
Dálias perdidas por entre as praças

Tempo de invenção do mundo

Portões de ferro abertos
Terra que silencia versos deixados

Íntimos caminhos sonoros

Medo no tempo vivido desenhado em paredes
Ruas de pedras e pinheiro

Encontram-me seus olhos por onde vou
Seja minha vida o tempo inteiro


Edemir Fernandes Bagon