domingo, 14 de dezembro de 2014

Ego


rua que em silêncio me encanta
portões enferrujados que protegem minhas escolhas no tempo
barulho de minha angústia guardada dentro do quarto

eu descanso com os instantes
eu encontro pedras na janela
eu retiro as plantas das calçadas

procuro Deus na parede de casa
descubro meu espírito no espelho
liberto meus olhos do meu ego


edemir fernandes bagon