segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Espaços


seguem os olhos o destino da vida

perto das mãos
os anjos que não falam

cala-se perdido o encanto de menino
que vez por outra vem assim com um riso quase indefinido

vão embora com o tempo alguns dos sonhos


do lado de cá
da janela de casa

envelheço versos


edemir fernandes bagon