segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Petição


vem o tempo 
de repente 
com o coração enfermo
com as unhas sujas
com os olhos perdidos nas ruas 

vem 
o tempo 
   de repente
ouvindo letras de um poema
vendendo desenhos de nuvens

vem o tempo 
de repente por entre as pedras
tirando enganos dos dogmas

vem o tempo de repente 
com perfumes de sândalo
com o cheiro de memória abraçada a um  corpo sem flores

vem o tempo de repente 
pedindo amor para não ser nômade



edemir fernandes bagon