segunda-feira, 6 de abril de 2015

Istmo

E agora que o tempo esqueceu de existir
Vem-me  assim por engano tocar o meu corpo

Meu espírito é um istmo
E para além das cortinas brancas do meu quarto está o meu pequeno mundo

Procuro por caminhos antigos
Porque meu coração é surdo


Edemir Fernandes Bagon


A cortina de renda, 2008
Márcio Melo ( Brasil)
Acrílica sobre tela, 61cm x 76 cm