sábado, 3 de outubro de 2015

Inconfidência

janelas abertas no céu sem-fim
esquecidos olhos perto da areia

vence o mar o desconhecido

o que vem depois das horas
o que espera antes o destino

amor escrito em sementes - castiçais
                                             escolhidos para serem portas

a cor do vestido despindo o espírito
a pele clara iluminando os dias

um gosto de chuva nos cabelos
lábios com versos em prosa

as mãos seguram os sonhos como  ofertas e dízimos

querer é um ato subversivo
amar é uma inconfidência corpórea



Edemir Fernandes Bagon



(Quadro de Renato Guedes)