quinta-feira, 30 de março de 2017

Cegueiras

prontas estão as armas
porque os olhos não enxergam as feridas

os desvios egoístas 
dos homens deformados pela ingratidão

as sombras caídas e abraçadas em terras escuras
os escárnios cruzando ruas e vielas antigas

os restos escolhidos pelo arbítrio 
livremente
o pouco tempo transformado em ausência eterna



prontas estão as armas.


Edemir Fernandes Bagon


Saturne dévorant un de ses fils (1819-1823), Francisco de Goya