sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Rosa

Todos os sonhos
Todas as formas
Todos os dias
Todas as armas

Todo Amor
Toda fraqueza
Toda fome
Toda tolice

Todo filho
Toda chuva
Todo o mar
Todo corpo

Toda a parte
Toda a vida
Toda canção
Todo final


Todo o sempre
Nem campo
semente
Luz que se apaga
Sempre
Sempre
Sempre


Mundo todo
todo
eu...

De repente,
Meu amor foi assim: Diadorim.

Eu longe
feito sertanejo

o descobri Riobaldo

[Ser é tão grande que não me acho.]

Edemir Fernandes Bagon