segunda-feira, 5 de abril de 2010

Anjos

Angelina tinha uma sincera e devotada paixão por Angelo. Namoro. Noivado. Casamento.
Filho. Nome: Vítor. Trinta anos. Ele com cinco a mais.
Sete anos de compreensão. Mas depois deles, alguma coisa havia incompreendida.
As surpresas acabaram-se aos poucos. E aos poucos, também o apego.
Vítor crescia. Angelo crescia. Angelina, não.Presa dentro de seu próprio coração - ela esperava mudar, crescer e conhecer o abraço do céu infinito com a terra.O mundo era igual como as coisas que era.
Quando percebeu que o tempo estava longe, quis gritar.
[Para quem?]
Não havia sentido olhar-se e não se reconhecer. Não existia motivo para mostrar-se [?]
Numa tarde, entretanto, transformara-se.
Deixou Angelo e Vítor para sempre.


[Edemir Fernandes Bagon]