terça-feira, 9 de setembro de 2014

Absolvição

Há cantos que não se encontram em desespero

Cristais e pedras preciosas de mentira
             aparências fingidas
Tantos são os homens com poder sem espelho

Não são caminhos os mistérios?
Se houvesse uma maneira de não fingir o que somos, seríamos tão felizes nas fotografias?

Para onde nos levam os discursos inflamados sobre a moral das máscaras sobre os palcos?
Sendo a vida uma coleção inteira de esperanças,
          o que esperar das pretensas teorias de salvação social?

A alma que se encanta diante dos que nascem
Os olhos que se perdem no longe que alcançam

Existir é um abismo formado entre o parágrafo e o ponto de exclamação colocado no final                   do amor.

Ainda resta um pouco das coisas sonhadas
Há cantos que não se encontram em desespero


Edemir Fernandes Bagon