sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Os tolos

os tolos acreditam ser tão mais capazes e competentes que a maioria dos mais simples
fazem seus salões de festas com a bondade dos mais pobres
recriam flores e altares
transformam os sonhos e as canções de amor
em contas bancárias

os tolos acreditam ser mais fantásticos que a descoberta do sentido da vida
acreditam ser mais vitoriosos que a própria beleza da linguagem
mais sábios que o silêncio de Deus
mais importantes que a igualdade

os tolos reabrem as portas sem as chaves
e esquecem dos outros
pensando ser invencíveis

os tolos não perdoam o seu próprio egoísmo
e caminham altivos sem conhecerem o fim de seus vícios

seus olhos enganam
seus gestos traem e professam mentiras

caminham e semeiam espinhos nos campos dos cegos
rezando  em nome de suas ambições
para serem Quasímodo



Edemir Fernandes Bagon